Com aceleração da economia, pequenas indústrias se recuperam no 3º trimestre

Segundo pesquisa inédita realizada pela CNI – Confederação Nacional da Indústria , o Índice de Desempenho das pequenas indústrias registrou recuperação e ficou em 46,2 pontos entre julho e setembro. Trata-se do maior patamar para um terceiro trimestre desde 2014, de acordo com o Panorama da Pequena Indústria.

Esta é a primeira vez que a CNI divulga uma sondagem com dados específicos de indústrias de pequeno porte. A pesquisa elenca quatro indicadores: desempenho, situação financeira, perspectivas e índice de confiança. Todos apresentaram recuperação.

Marcelo Azevedo, economista da entidade, explica que isso reflete o aquecimento da economia como um todo no terceiro trimestre. A baixa demanda por bens industriais, que prejudicou a atividade da pequena indústria ao longo de todo o primeiro semestre, perdeu importância em relação aos principais problemas sinalizados pelas empresas.

“A pesquisa mostra que as empresas de pequeno porte começaram a perceber o aquecimento da economia brasileira. Se o Brasil equacionar os principais problemas que afetam os pequenos empresários, relacionados não apenas ao ambiente de negócios, mas também ao financiamento, esse processo de retomada será acelerado”, afirma Azevedo.

A pesquisa também mostra que as finanças melhoraram no penúltimo semestre do ano. O Índice de Situação Financeira da pequena indústria alcançou 38,2 pontos – valor 1,0 ponto acima do registrado na média histórica.

O Panorama da Pequena Indústria também analisa o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) da pequena indústria. A confiança reforça a perspectiva positiva dos empresários, permanecendo alta. Em outubro, esse indicador ficou em 57,5 pontos.