Confiança do empresariado brasileiro é a maior desde 2010

A CNI – Confederação Nacional das Indústrias divulgou os resultados da primeira pesquisa referente ao O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI). Segundo apurado, o indicador aumentou 0,9 ponto em relação a dezembro de 2018, alcançando 64,7 pontos em janeiro de 2019 – o maior valor desde junho de 2010.

Esta é a quarta alta consecutiva do ICEI, que está 10,4 pontos acima da média histórica, de 54,3 pontos. Inclusive, este é o terceiro mês seguido que ele fica acima dos 60 pontos.

Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando estão acima dos 50 pontos, mostram que os empresários estão confiantes.

Segundo Marcelo Azevedo, economista da CNI, “a sinalização do enfrentamento de questões urgentes da economia brasileira mantém o otimismo do empresário em alta. Para que esse cenário se mantenha, é fundamental que as expectativas se concretizem, com a apresentação das propostas de reformas previdenciária e tributária”.

A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI alcançou 65,5 pontos. Nas médias empresas, ele ficou em 64,3 pontos e, nas pequenas, em 63,3 pontos.

De acordo com a pesquisa, o ICEI é maior na região Sul, onde atingiu 67,1 pontos, estando 6,1 pontos maior do que em janeiro de 2018.

No Centro-Oeste, o índice subiu 6,5 pontos e ficou em 65,2 pontos em janeiro.

No Norte, foi de 65,6 pontos, no Nordeste, de 63,4 pontos, e, no Sudeste, de 63,5 pontos.

Ao analisar os resultados da pesquisa, a CNI conclui que “a manutenção do ICEI em patamar elevado mostra que os empresários estão confiantes e, assim, mais dispostos a contratar trabalhadores e investir”.

O aumento do ICEI em janeiro é resultado da melhora da percepção sobre as condições atuais dos negócios e da expectativa dos empresários. Assim, o Índice de Condições Atuais aumentou para 54,2 pontos, alcançando o maior nível desde fevereiro de 2011.

Já o Índice de Expectativas subiu para 69,9 pontos, ficando 7,9 pontos acima do registrado em janeiro do ano passado. Isso reflete que os empresários estão percebendo melhora nas condições correntes de seus negócios e muito otimistas sobre o desempenho das empresas e da economia nos próximos seis meses.

Esta edição do ICEI foi feita entre 7 e 17 de janeiro, com 2.503 empresas. Dessas, 1.001 eram pequenas, 925 médias e 577 de grande porte.