Crescimento acumulado da indústria de fundição chega a 4,0% em abril

A alta é liderada pelo mercado interno, que responde por 84% da demanda do setor

A produção brasileira de fundidos entre os meses de janeiro e abril totalizou 766.448 t, ficando 4,0% superior em relação ao mesmo período de 2018. Os dados fazem parte do balanço setorial divulgado mensalmente pela ABIFA – Associação Brasileira de Fundição.

As peças em ferro fundido responderam pelo maior volume produzido (613.220 t), seguido do aço (89.891 t) e dos metais não ferrosos (63.337 t), entre os quais o alumínio (54.413 t), cobre (6.853 t), zinco (392 t) e magnésio (1.680 t).

No comparativo anual, tanto a produção de fundidos em ferro quanto em aço aumentaram (+2,0% e +31,7%, respectivamente), ao passo que os não ferrosos caíram 6,6%. Veja na tabela 1 o detalhamento destes números.

 

Tabela 1 – Comparativo da produção acumulada de fundidos entre janeiro e abril de 2019.
Metal Jan-Abr 2019 (t) Jan-Abr 2018 (t) 2019/2018 (%)
Ferro 613.220 601.106 2,0
Aço 89.891 68.273 31,7
Não ferrosos (total) 63.337 67.845 (6,6)
Cobre 6.853 6.937 (1,2)
Zinco 391 379 3,2
Alumínio 54.413 58.849 (7,5)
Magnésio 1.680 1.680
Total 766.448 737.224 4,0

 

A demanda doméstica continua superando as exportações, respondendo por 645.728 t nos quatro primeiros meses do ano. Este volume equivale a uma alta de 6,6% frente 2018.

As exportações, que atualmente representam 15,7% da produção brasileira de fundidos, caíram tanto em peso (8,1)% quanto em valores (13,1)%. A tabela 2 traz um descritivo minucioso dos embarques do setor.

 

Tabela 2 – Exportações acumuladas de fundidos entre janeiro de abril de 2019, em peso e valores.
Metal Jan-Abr 2019 (t) Jan-Abr 2018 (t) 2019/2018 (%) Jan-Abr 2019 (mil US$ – FOB) Jan-Abr 2018 (mil US$ – FOB) 2019/2018 (%)
Ferro 108.514 120.648 (10,1) 163.272,6 196.296,4 (16,8)
Aço 9.986 9.094 9,8 21.790,6 18.301,6 19,1
Não ferrosos 2.050 1.477 38,8 4.368,8 3.487,7 25,3
TOTAL 120.550 131.218 (8,1) 189.432,0 218.085,8 (13,1)

 

Para atender a este aumento gradual da demanda, o número de colaboradores do setor tem crescido mês a mês, totalizando 56.117 profissionais em abril (+4,8% sobre o mesmo mês 2018).

Com isso, a produtividade da indústria de fundição ficou em 41,5 t/h.a em abril.

Previsão anual

O incremento de 4,0% da produção de fundidos no comparativo anual está aquém do estimado pela entidade para o exercício 2019, mas a expectativa de crescimento de 7% para ano está mantida.

Tradicionalmente, o desempenho do segundo semestre é superior ao dos seis primeiros meses do ano e neste temos um fator adicional: a expectativa da aprovação da Reforma da Previdência, que certamente impulsionará investimentos em todos os setores da economia.

De acordo com a CNI – Confederação Nacional da Indústria, em abril a indústria operou, em média, com 77,8% da capacidade instalada (o maior índice desde agosto do ano passado), o que é uma excelente notícia. As horas trabalhadas cresceram 1,1% e o faturamento aumentou 3,3% frente a março.