Produção de fundidos volta a crescer em maio

No ano, o setor registra alta de 6,4%, com 972.931 t fundidas

A produção brasileira de fundidos totalizou 206.483 toneladas em maio, o que corresponde a uma alta de 3,5% em relação a abril imediatamente anterior e de 16,5% ante maio de 2018.

O notável desempenho do setor na comparação mensal interanual se deve não a um maio/2019 extraordinário, mas sim a um maio/2018 lamentável, quando o país parou 11 dias por conta da greve dos caminhoneiros. Os resultados, que afetaram até mesmo o PIB do ano, prejudicaram a retomada da economia e da indústria.

A reduzida produção de fundidos em maio de 2018 também é responsável pela alta de 6,4% na produção acumulada de fundidos na comparação Jan-Mai 2019/2018.

Os números detalhados estão na tabela abaixo.

Tabela 1 – Produção de peças fundidas em maio de 2019 e comparativo interanual da produção acumulada (Jan-Mai 2019/2018).
Metal Maio 2019 Jan-Mai 2019 (t) Jan-Mai 2018 (t) 2019/2018 (%)
Ferro 165.802 779.022 744.952 4,6
Aço 23.714 113.605 84.848 33,9
Não ferrosos (total) 16.967 80.304 84.687 (5,2)
Cobre 1.732 8.585 8.696 (1,3)
Zinco 98 489 479 2,1
Alumínio 14.717 69.130 73.412 (5,8)
Magnésio 420 2.100 2.100
Total 206.483 972,931 914.487 6,4

Sobre o desempenho mês a mês da indústria brasileira de fundição no exercício 2019, vale salientar que desde janeiro têm sido registrados crescimentos, à exceção de abril, quando houve uma queda de 1,5% na produção do setor. Em maio, essa retração foi prontamente superada com uma alta de 3,5%. Em peso, isso equivale à produção de 174.423 t de peças fundidas em janeiro, 189.936 t em fevereiro, 202.560 t em março, 199.530 t em abril e 206.483 t em maio.

A maior parte do volume fundido no quinto mês do ano (174.708 t) foi consumida no mercado interno, o que equivale a 84,6% do total.

Entre janeiro e maio, 152.325 t de fundidos foram exportadas, ou seja, 15,6% da produção acumulada de 972.931 t.

Na comparação interanual, a queda dos embarques até maio foi de 3,4% em relação a 2018 (em peso), quando as exportações até o mês cinco somaram 157.677 t.

As tabelas 2 e 3 reúnem os números referentes às exportações do setor, em peso e valor.

Tabela 2 – Exportações de fundidos (em peso) em maio de 2019 e comparativo interanual das exportações acumuladas (Jan-Mai 2019/2018).
Metal Maio 2019 Jan-Mai 2019 (t) Jan-Mai 2018 (t) 2019/2018 (%)
Ferro 28.636 137.150 145.447 (5,7)
Aço 2.633 12.619 10.331 22,1
Não ferrosos 506 2.556 1.900 34,6
TOTAL 31.775 152.325 157.677 (3,4)
Tabela 3 – Exportações de fundidos (em valores) em maio de 2019 e comparativo interanual das exportações acumuladas (Jan-Mai 2019/2018).
Metal Maio 2019

(mil US$ – FOB)

Jan-Mai 2019 (mil US$ – FOB) Jan-Mai 2018 (mil US$ – FOB) 2019/2018 (%)
Ferro 58.163,2 221.435,8 251.805,5 (12,1)
Aço 7.292,4 29.083,0 22.697,8 28,1
Não ferrosos 1.708,4 6.077,2 4.837,4 25,6
TOTAL 67.164,0 256.596,0 279.340,7 (8,1)

Para atender à demanda de fundidos em maio, o setor empregou 56.295 pessoas. Este número é 0,3% superior ao de abril de 2019 e 3,6% maior que o de maio de 2018.

Previsão

A ABIFA – Associação Brasileira de Fundição, mantém a estimativa de crescimento de 7% para o exercício 2019, o que equivale a uma produção anual de 2,45 mil t de fundidos.

Com isso, o setor ultrapassará em algumas toneladas a produção registrada em 2015 (2,31 mil t), mas ainda ficará muito aquém do recorde de 2008, quando 3,35 mil t foram fundidas no país.

Fonte: Assessoria de imprensa | ABIFA – Associação Brasileira de Fundição