Sebrae e EMBRAPII renovam parceria para alavancar inovação de startups e pequenas empresas

O Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e a EMBRAPII – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial firmaram um novo contrato visando ao incentivo à inovação em startups, micro e pequenas empresas.

Ao todo, serão R$ 100 milhões gerados para financiar ideias inovadoras de empreendedores que buscam aumentar a competitividade de suas empresas no mercado. Com o recurso, espera-se concretizar novos negócios em mais 120 projetos apoiados.

O aporte por parte do Sebrae será de R$ 30 milhões, valor que será somado aos recursos da EMBRAPII, das Unidades EMBRAPII e das empresas.

Este é o segundo acordo entre as instituições. Na primeira experiência, o aporte de R$ 20 milhões, previsto para ser usado em quatro anos, foi completamente utilizado na metade do tempo, propiciando o desenvolvimento de 109 projetos de inovação de startups, micro e pequenas empresas de base tecnológica, totalizando R$ 77 milhões (incluindo os valores das instituições de fomento, empresários e centros de pesquisas).

No modelo de negócio da EMBRAPII, a instituição financia até 1/3 do valor dos projetos com recursos não reembolsáveis. A proposta é compartilhar o risco com o setor produtivo e incentivar a inovação.

Para Carlos Melles, presidente do Sebrae, a aproximação entre pequenos negócios e grandes empresas se confirma como uma estratégia fundamental no incentivo ao desenvolvimento e inovação. “É preciso preparar o país para uma virada econômica. Nos países desenvolvidos, o dinamismo da economia está baseado na inovação. Mas, no Brasil, nosso desempenho tem sido desanimador. Dentre 129 países, o Brasil é apenas o 66° mais inovador, de acordo com o Índice Global De Inovação (IGI) deste ano”.

Jorge Guimarães, diretor-presidente da EMBRAPII, explica que o contrato com o Sebrae auxilia os empresários a complementarem suas contrapartidas nos projetos. Na prática, o contrato financia parte do valor da empresa, ampliando o percentual de recursos não reembolsáveis para seus projetos de inovação industrial. Em média, o desembolso do empresário se reduz à cerca de 10% do valor do projeto EMBRAPII.

As duas modalidades do contrato anterior foram mantidas. A primeira, voltada para o desenvolvimento tecnológico, destina-se apenas aos microempreendedores individuais, startups, micro e pequenas empresas.

A segunda é destinada ao encadeamento tecnológico, podendo contar com empresas de todos os portes. Nesta situação, permite que startups desenvolvam projetos em parceria com o consumidor final de sua tecnologia.

Uma novidade do novo contrato é o incentivo à inovação aberta com a introdução de uma linha de financiamento voltada à criação de consórcios de empresas com interesse comum. Eventualmente, poderá haver uma ou mais médias e grandes empresas atuando em parceria com as empresas, seja como âncora de um projeto de encadeamento produtivo ou tecnológico, seja como apoiadora da iniciativa.