Após melhor 1S desde 2014, indústria de fundição mantém crescimento em julho

Em julho, a indústria brasileira de fundição produziu 222.120 t, entre peças em ferro fundido, aço e metais não ferrosos, mantendo o patamar de produção do mês anterior (219.914 t).

No acumulado do ano, o setor já produziu 1,47 milhão t. Em relação a 2020, o crescimento é de +29,0%. Na base de comparação com 2019, quando o segmento vinha de um movimento de crescimento contínuo desde a crise de 2016, a alta da produção no atual exercício é de +7,4%.

As informações foram compiladas pela ABIFA – Associação Brasileira de Fundição.

Tab. 1 – Comparação mensal (julho/ junho 2021) e interanual (janeiro-julho 21/20) da produção brasileira de fundidos
Metal Jul/21

(t)

Jun/21

(t)

Jul / Jun 21

(%)

Jan-Jul/21

(t)

Jan-Jul/20

(t)

Jan-Jul 21/20 (%)
Ferro 180.542 178.230 1,3 1.185.535 872.444 35,9
Aço 23.926 23.317 2,6 156.516 153.185 2,2
Não ferrosos 17.652 18.368 (3,9) 125.825 112.241 12,1
Cobre 2.826 2.865 (1,4) 18.789 12.893 45,7
Zinco 98 98 686 686
Alumínio 14.308 14.984 (4,5) 103.411 95.723 8,0
Magnésio 420 420 2.940 2.940
Total 222.120 219.914 1,0 1.467.876 1.137.870 29,0
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Mercado interno

A maior parte da produção brasileira de fundidos é tradicionalmente absorvida no mercado interno. No entanto, aqui vale ressaltar que entre o ano passado e este houve uma alteração da fatia fornecida à indústria automotiva (que já foi de 56%); absorvida pelos demais setores.

img

Entre janeiro e julho deste ano, o mercado interno consumiu 1,27 milhão t do total de 1,47 milhão t produzido pelo setor no mesmo período.

Comparativamente, as altas são de +26,9% sobre 2020 e de +10,4% sobre 2019.

Mercado externo

Com relação ao volume de fundidos exportados pelo Brasil, em 2021 temos a soma de 202.771 t embarcadas entre janeiro e julho.

São +56,6% em relação a 2020, porém queda de -8,0% frente a 2019.

Tab. 2 – Comparação mensal (julho/ junho 2021) e interanual (janeiro-julho 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em peso (t).
Metal Jul/21

(t)

Jun/21

(t)

Jul / Jun 21

(%)

Jan-Jul/21

(t)

Jan-Jul/20

(t)

Jan-Jul 21/20 (%)
Ferro 21.301 29.246 (27,2) 181.402 122.062 48,6
Aço 2.989 2.309 29,4 18.341 17.254 6,3
Não ferrosos 500 492 1,6 3.028 1.667 81,6
Total 24.790 32.047 (22,6) 202.771 140.983 43,8
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Em valores, as exportações brasileiras de fundidos totalizaram MUS$ 428.363,0 no acumulado do ano.

Os comparativos interanuais apontam um aumento de +33,4% sobre 2020 e queda de -10,6% frente a 2019.

Tab. 3 – Comparação mensal (julho/ junho 2021) e interanual (janeiro-julho 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em valores.
Metal Jul/21

(mil US$ – FOB

Jun/21

(mil US$ – FOB

Jul/ Jun 21

(%)

Jan-Jul /21 (mil US$ – FOB) Jan-Jul/20

(mil US$ – FOB)

Jan-Jul 21/20 (%)
Ferro 45.911,6 59.340,1 (22,6) 353.919,9 270.523,8 30,8
Aço 10.355,5 11.027,5 (6,1) 65.885,0 46.950,1 40,3
Não ferrosos 1.364,5 1.478,0 (7,7) 8.558,1 3.772,0 129,9
Total 57.631,6 71.845,6 (19,8) 428.363,0 321.195,9 33,4
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Emprego

O nível de pessoas empregadas na indústria de fundição é um dos parâmetros que compõem o índice de confiança do setor para os próximos meses.

Em janeiro, o quadro de funcionários das fundições do país totalizava 56.194 colaboradores. Em julho, este número foi de 61.990 pessoas, o que representa um aumento de +10,3% funcionários.

Previsão

Para o exercício 2021, a ABIFA prevê a produção de 2,5 milhão t de fundidos, o que equivale a um crescimento superior a +20% sobre 2020 e de +9% em relação a 2019.

ABIFA – Associação Brasileira de Fundição