CNI – Atividade industrial continua em trajetória de crescimento

Os Indicadores Industriais pesquisados pela CNI – Confederação Nacional da Indústria mostram que o faturamento da indústria de transformação subiu +1,6% em dezembro de 2020, na comparação com novembro imediatamente anterior.

Mesmo com a pandemia, as vendas reais encerraram o ano com alta de +0,8% na comparação com 2019.

A pesquisa identificou ainda que o emprego aumentou +0,2% em dezembro, em relação ao mês anterior. Esse foi o quinto mês consecutivo com alta nas contratações do setor industrial.

Marcelo Azevedo, gerente de Análise Econômica da CNI, destaca que “o resultado de dezembro mostra a continuidade da recuperação da indústria, que teve início logo após as fortes quedas de maio e abril”.

Outra revelação da pesquisa diz respeito à utilização da capacidade instalada da indústria (UCI), que alcançou 80,6% em dezembro, acima da média no ano. Em 2020, a UCI média foi 76,4%. Esse indicador trata do percentual de máquinas comprometidas na produção, o que em dezembro aponta para uma atividade bastante aquecida.

De acordo com o economista, os Indicadores Industriais mostram que a recuperação do setor durou todo o segundo semestre. Os dados não apontam para um setor sem problemas no pós-crise, mas mostram que indústria conseguiu reagir à pandemia.

Confiança do empresário

Outra pesquisa realizada pela entidade diz respeito ao Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), que ficou em 59,5 pontos no último levantamento realizado (fevereiro), apontando que a indústria segue confiante.

No entanto, a confiança do empresário caiu pelo segundo mês seguido, refletindo a avaliação dos empresários sobre as condições de seus negócios em 2021.

De acordo com a CNI, apesar da aparente piora, o ICEI está acima e distante da linha divisória de 50 pontos, que separa confiança da falta de confiança.

Nas palavras de Azevedo, “a percepção do estado atual da economia brasileira e das empresas é de melhora na comparação com os últimos seis meses, mas essa visão já foi mais forte e disseminada entre os empresários. É um indicador para ser acompanhando, pois o otimismo é importante para estimular a produção, o investimento e a geração de empregos. Esses fatores são fundamentais para a continuidade da recuperação econômica”.