Indústria de fundição cresce 11,4% no 1T21, com aumento das demandas interna e externa

Em março, a produção brasileira de fundidos ficou em 217.277 t, +11,4% em relação a fevereiro imediatamente anterior. Com isso, setor registrou alta de +11,4% no primeiro trimestre do ano, ante o mesmo período de 2020, com a produção de 595.395 t. Os dados foram compilados pela ABIFA – Associação Brasileira de Fundição.

Tab. 1 – Comparação mensal (março/fevereiro 2021) e interanual (jan-mar 21/20) da produção brasileira de fundidos
Metal Mar/21

(t)

Fev/21

(t)

Mar/Fev 21

(%)

Jan-Mar/21

(t)

Jan-Mar/20

(t)

Jan-Mar 21/20 (%)
Ferro 175.736 156.214 12,5 477.856 413.690 15,5
Aço 23.003 20.763 10,8 64.009 64.652 (1,0)
Não ferrosos 18.538 18.072 2,6 53.530 56.331 (5,0)
Cobre 2.838 2.804 7.418 5.564 33,3
Zinco 98 98 294 294
Alumínio 15.182 14.751 2,9 44.558 49.213 (9,5)
Magnésio 420 420 1.260 1.260
Total 217.277 195.049 11,4 595.395 534.673 11,4
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

O mercado interno é o principal consumidor dos fundidos brasileiros. No primeiro trimestre, 86% da produção nacional foi absorvida internamente (511,7 mil t). Trata-se de um aumento de +9% sobre o 1T20.

As exportações do setor vêm ganhando o peso perdido durante a pandemia, graças à recuperação gradual de economias internacionais.

Em março, foram embarcadas 32.661 t de fundidos, o que equivale a uma alta de +20,8% frente a fevereiro/21.

No trimestre, em peso, as exportações totalizaram 83.660 t; +28,4% em relação ao 1T20.

Tab. 2 – Comparação mensal (março/ fevereiro 2021) e interanual (jan-mar 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em peso (t).
Metal Mar/21

(t)

Fev/21

(t)

Mar/Fev 21

(%)

Jan-Mar/21

(t)

Jan-Mar/20

(t)

Jan-Mar 21/20 (%)
Ferro 29.709 24.394 21,8 75.571 58.576 29,0
Aço 2.483 2.285 8,7 6.947 5.758 20,6
Não ferrosos 469 347 35,1 1.142 799 42,9
Total 32.662 27.026 20,8 83.660 65.133 28,4
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Em valores, a comparação interanual das exportações indica um aumento de +18,1%.

Tab. 3 – Comparação mensal (março/ fevereiro 2021) e interanual (jan-mar 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em valores.
Metal Mar/21

(mil US$ – FOB

Fev/21

(mil US$ – FOB

Mar/Fev 21

20

(%)

Jan-Mar/21 (mil US$ – FOB) Jan-Mar/20

(mil US$ – FOB)

Jan-Mar 21/20 (%)
Ferro 54.250,7 44.738,1 21,3 137.500,9 119.454,7 15,1
Aço 8.156,2 7.515,4 8,5 22.421,6 16.509,0 35,8
Não ferrosos 1.085,8 1.256,8 (13,6) 3.128,8 2.141,3 46,1
Total 63.492,7 53.510,3 18,7 163.051,3 138.105,0 18,1
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Com isso, o número de colaboradores na indústria de fundição segue aumentando, tendo ficado em 59.122 no mês de março. Este número é +2,8% superior ao de fevereiro de 2021, e +7,3% superior ao de março de 2020.

Perspectivas 2021

Para o exercício 2021, é mantida a expectativa de aumento da produção de fundidos da ordem de +15% em relação a 2020, quando foram fundidos 2,073 milhões t.

Segundo Afonso Gonzaga, presidente da ABIFA, esta estimativa de crescimento é pautada no próprio mercado consumidor de fundidos, que tem anunciado a retomada de investimentos paralisados pela pandemia. Este é o caso das indústrias automotiva e de bens de capital, atualmente responsáveis por aproximadamente 56% e 12% da demanda do setor, respectivamente.

_____________________________________________

Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição