Indústria de fundição inicia 2021 com crescimento da produção e do consumo interno

Confirmando o otimismo do empresário de fundição, o exercício 2021 começou com alta tanto em relação à produção de dezembro/20 (+10,5%), quanto de janeiro/20 (+9,5%).

De acordo com a ABIFA – Associação Brasileira de Fundição, no primeiro mês do ano a produção de fundidos somou 183.069 t, com predominância do ferro fundido (145.907 t), seguido do aço (20.243 t) e metais não ferrosos (16.919 t).

 

Tab. 1 – Comparativo da produção brasileira de fundidos nos meses de janeiro e dezembro, nos ano de 2020 e 2021
Metal Jan 2021

(t)

Dez 2020

(t)

Jan 2020

(t)

Jan21/Dez20

(%)

Jan21/Jan20

(%)

Ferro 145.907 133.800 131.822 9,0 10,7
Aço 20.243 15.740 19.286 28,6 5,0
Não ferrosos 16.919 16.103 16.126 5,1 4,9
Cobre 1.776 1.773 1.835 (3,2)
Zinco 98 98 98
Alumínio 14.625 13.812 13.773 5,9 6,2
Magnésio 420 420 420
TOTAL 183.069 165.643 167.234 10,5 9,5
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

O mercado interno absorveu 86,9% da produção do setor (159.097 t) em janeiro.

Em relação a 2020, nessa mesma época, o consumo interno de fundidos aumentou +7,4%.

As exportações seguem oscilando, mas há de se considerar a sazonalidade típica do mês de dezembro. Em janeiro/21, foram embarcadas 23.972 t; volume -4,4% inferior ao de dezembro/20. Já no comparativo com janeiro/20, verificamos um aumento de +24,8%.

 

Tab. 2 –Comparativo das exportações de fundidos (em peso) nos meses de janeiro e dezembro, nos anos de 2020 e 2021.
Metal Jan 2021

(t)

Dez 2020

(t)

Jan 2020

(t)

Jan21/Dez20 (%) Jan21/Jan120(%)
Ferro 21.468 22.969 17.408 (6,5) 23,3
Aço 2.179 1.776 1.521 22,7 43,2
Não ferrosos 326 341 284 (4,4) 14,8
TOTAL 23.972 25.086 19.213 (4,4) 24,8
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Em valores, dada a desvalorização cambial, a comparação das exportações de jan21/dez20 apontam uma queda de -2,9%, enquanto a relação jan21/jan20 indica uma alta de +18,3%.

Tab. 3 –Comparativo das exportações de fundidos (em valores) nos meses de janeiro e dezembro, nos anos de 2020 e 2021.
Metal Jan 2021

(mil US$ – FOB)

Dez 2020

(mil US$ – FOB)

Jan 2020

(mil US$ – FOB)

Jan20/Dez19 (%) Jan20/Jan19 (%)
Ferro 38.512,1 40.485,5 34.658,8 (4,9) 11,1
Aço 6.750,0 6.036,9 3.634,7 11,8 85,7
Não ferrosos 786,2 888,3 629,7 (11,5) 24,9
TOTAL 46.048,3 47.410,7 38.923,2 (2,9) 18,3
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

O número de colaboradores da indústria de fundição também aumentou, de 56.165 pessoas em dez/20, para 56.194 em jan/21 (+0,1). Em relação a jan/20, o crescimento foi de +0,6%.

Perspectivas para 2021

Considerando-se as projeções já divulgadas pelos principais setores clientes da fundição e a reação da própria indústria no segundo semestre de 2020, a expectativa da ABIFA para o exercício 2021 é de crescimento entre 12% e 15% em 2021, em relação ao ano passado.

Consultas realizadas entre os associados da entidade confirmam que a maioria está com sua carteira de pedidos cheia e disposta a investir para atender mais e melhor aos seus clientes.

Para isso, no entanto, pendências importantes devem ser sanadas:

Vacinação em massa da população ainda em 2021;
• Estabilização do fornecimento dos principais insumos para a indústria de fundição;
• Repasse de custos;
• Retorno das exportações, com a recuperação do mercado internacional;
• Combate à falta de competitividade da indústria brasileira, por meio da redução do Custo Brasil;
• Aprovação de Reformas estruturais, a exemplo da Tributária e Administrativa.
__________________________________________
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição