Indústria de fundição tem primeiro bimestre de alta da produção, com demandas interna e externa em ascensão

Em fevereiro, a indústria brasileira de fundição registrou nova alta de produção, dessa vez de +6,5% em relação a janeiro imediatamente anterior e +3,0% sobre fevereiro de 2020. Com isso, o primeiro bimestre de 2021 fecha com incremento de +6,0% na comparação interanual, segundo dados apurados pela ABIFA.

Nos dois primeiros meses de 2021, foram fundidas 378.118 t, das quais 195.049 t foram produzidas em fevereiro. Todos os metais apresentaram aumento ou estabilização de produção, conforme a tabela abaixo.

Tab. 1 – Comparação mensal (fevereiro/janeiro 2021) e interanual (jan.-fev. 21/20) da produção brasileira de fundidos
Metal Fev/21

(t)

Jan/21

(t)

Fev/Jan 21

(%)

Jan-Fev/21

(t)

Jan-Fev/20

(t)

Jan-Fev 21/20 (%)
Ferro 156.214 145.907 7,1 302.121 282.532 6,9
Aço 20.763 20.243 2,6 41.006 41.019
Não ferrosos 18.072 16.919 6,8 34.991 33.018 6,0
Cobre 2.804 1.776 4.580 3.670 24,8
Zinco 98 98 196 196
Alumínio 14.751 14.625 0,9 29.376 28.312 3,8
Magnésio 420 420 840 840
Total 195.049 183.069 6,5 378.118 356.569 6,0
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

As exportações, ao que tudo indica, voltaram a ter maior peso na demanda do setor este ano, com a retomada do mercado internacional. Em 2020, apenas 12,5% da produção brasileira de fundidos foi exportada (259.871 t de fundidos); -28,6% em relação a 2019.

Neste primeiro bimestre, os embarques já somam 50.743 t, o que equivale a uma alta de +19,5% sobre jan-fev/2020.Em valores, esta comparação indica um incremento +13,5%.

Tab. 2 – Comparação mensal (fevereiro/janeiro 2021) e interanual (jan-fev 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em peso (t).
Metal Fev/21

(t)

Jan/21

(t)

Fev/Jan 21

(%)

Jan-Fev/21 (t) Jan-Fev/20

(t)

Jan-Fev 21/20 (%)
Ferro 24.394 21.468 13,6 45.862 39.072 17,4
Aço 2.285 2.179 4,9 4.464 2.804 59,2
Não ferrosos 91 326 (72,1) 417 575 (27,5)
Total 26.770 23.972 11,7 50.743 42.451 19,5
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição
Tab. 3 – Comparação mensal (fevereiro/janeiro 2021) e interanual (jan-fev 21/20) das exportações brasileiras de fundidos, em valores.
Metal Fev/21

(mil US$ – FOB

Jan/21

(mil US$ – FOB)

Fev/Jan 21

20

(%)

Jan-Fev/21 (mil US$ – FOB) Jan-Fev/20

(mil US$ – FOB)

Jan-Fev 21/20 (%)
Ferro 44.738,1 39.535,8 13,2 83.250,2 77.339,2 7,6
Aço 7.515,4 6.750,0 11,3 14.265,4 8.272,3 72,4
Não ferrosos 303,7 786,2 (61,4) 1.089,9 1.263,7 (13,8)
Total 52.557,2 46.048,3 9,6 98.605,5 86.875,2 13,5
Fonte: ABIFA – Associação Brasileira de Fundição

Para atender à demanda, a indústria de fundição também empregou mais em fevereiro, totalizando 57.536 colaboradores. Este número é 2,4% superior ao registrado em janeiro.

Perspectivas 2021

Para o exercício 2021, é mantida a expectativa de aumento da produção entre +12% e +15% em relação a 2020, quando foram fundidos 2,073 milhões t.

Segundo Afonso Gonzaga, presidente da ABIFA, esta estimativa de crescimento é pautada no próprio mercado consumidor de fundidos, que tem anunciado a retomada de investimentos paralisados pela pandemia. Este é o caso das indústrias automotiva e de bens de capital, atualmente responsáveis por aproximadamente 56% e 12% da demanda do setor, respectivamente